04 agosto 2011

Sermão - Os resultados do culto de oração


Texto base – At. 4.31

Introdução

Quarta-feira não é um culto tão bem frequentado, como é, o culto de domingo. Entendemos que uns trabalham, outros estudam, etc. É uma pena que nem todos possam chegar para este culto tão especial, o culto de oração. Eu costumo dizer que o culto de quarta-feira (culto de oração), é o reabastecimento do meio da semana. Sendo assim, é uma necessidade para todos os crentes que se não podem vir à igreja, deveriam fazê-lo em família pelo menos. Creio que há bênçãos especiais, que só experimentam os que mesmo diante de muito sacrifício, conseguem se fazer presente para esta solene reunião.

Todavia, o que há de tão especial num culto de oração? Que bênçãos podemos colher num culto, que para muitos é uma monotonia? Certamente bênçãos inigualáveis. O texto lido nos mostra algumas riquezas que brotaram em um culto de oração? Vejamos:

Em primeiro lugar, tremeu o lugar onde estavam reunidos - V.31a.

Sim, é isto mesmo o que aconteceu. O lugar onde eles estavam, tremeu, tal foi à manifestação da glória de Deus naquele lugar. Este, não é o único relato em Atos, onde o lugar que têm filhos de Deus em comunhão com Ele treme. Em Atos 16 também aconteceu o mesmo, quando Paulo e Silas estavam presos e louvavam a Deus. Em ambos os casos o grau de intimidade foi tanta com Deus, que sua glória fez tremer a terra. Certamente que, em nossos dias, a terra não tremerá, pois não necessitamos mais dos sinais para crermos na revelação divina; porém e certamente numa reunião de oração o inferno treme, pois suas hostes sabem que o poder de Deus agirá em favor dos que o buscam; o coração dos crentes treme por desfrutarem da paz que a presença de Deus transmite, a alma dos crentes treme por contemplar com os seus olhos espirituais o reacender de suas esperanças, de suas alegrias, de seus ânimos. Sim, o tremor do Senhor inunda o coração dos que em sinceridade o buscam crendo que Ele existe.

Em segundo lugar, todos ficaram cheios do Espírito Santo. V.31b

O Espírito Santo habita em todos os crentes permanentemente. Ninguém pode ter mais do Espírito e nem menos. O que há é o fato de que, na medida em que nos consagramos e andamos com Deus, seu Espírito tem maior liberdade de ação em nossas vidas. Ele transborda em nós controlando todo o nosso ser, nossa vontade, nossos pensamentos, nossos propósitos. Passamos a nos deleitar na vontade de Deus. Estar cheio do Espírito Santo é estar sob sua total obediência e direção. Aqueles crentes cheios do Espírito Santo, compreenderam perfeitamente qual a vontade do Senhor para suas vidas. Eles louvaram a Deus, eles não fugiram do seu testemunho, eles não se omitiram em sua forma de viver, mesmo sabendo que isto poderia lhes custar a vida. Estando cheios do Espírito de Deus, esvaziaram-se de si mesmos, do medo da morte, das luxúrias deste mundo. As coisas do alto encheram de satisfação seus corações.

Em terceiro lugar, com intrepidez anunciavam a Palavra de Deus – V.31c.

Na medida em que eles falaram com Deus, desfrutaram da glória de Deus, eles foram cheios de ânimo e vontade de proclamarem a Palavra de Deus. Eles não puderam guardar somente para si mesmos o que experimentaram. O reino de Deus é doce, é um refrigério para o que está em tormento, é alívio para o que está cansado, é a luz verdadeira para aquele que está em trevas. Eles não podiam esconder dos moribundos a chave da existência eterna. Por isso saíram proclamando as boas novas da salvação, a Palavra de Deus.

Tudo isto aconteceu num culto de oração. De verdade, irmãos, este culto é muito especial. Deus está presente no culto em que seu povo vem lhe adorar e derramar diante d´Ele seu ser.

Conclusão:

Venha para o culto de quarta-feira, culto de oração. Venha para que Deus faça seu coração tremer, venha para que você seja cheio do Espírito Santo, venha para que você receba intrepidez para anunciar a Palavra de Deus. Venha se reabastecer, venha, o Senhor te espera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário